Brotas – 5 dias

Brotas parece respirar o cantor Daniel, em todo lugar tem uma imagem ou algo que faça referência a ele, mas se você está pensando que fomos até lá para curtir sertanejo está muito enganado. A cidade também é conhecida pelo turismo de aventura e foi isso que fomos buscar, não só nós, mas também tivemos a companhia dos pais da Fernanda.

Brotas é uma pequena e charmosa cidade do interior de SP de fácil acesso por rodovias e foi próximo a SP-225 logo na entrada da cidade que nos hospedamos na pousada da Vó Ziza, uma grata surpresa, a Patrícia e todos os funcionários sempre atenciosos, tivemos uma excelente estadia.

Uma única ida a agência Território Selvagem Canoar e toda a nossa agenda com atividades radicais ficou cheia, escolhemos os esportes com mais adrenalina que tinham e também os que nunca fizemos, queríamos experimentar esportes novos. Mas antes da adrenalina correr na veia, caminhamos pelo Parque dos Saltos onde tem a ponte Pênsil e fica bem perto do centro.

A tarde como primeiro tour com a agência fizemos uma trilha leve que os pais da Fernanda nos acompanharam até a cachoeira de Cristal. Na volta uma chuva de fim de tarde só nos fez esperar mais um pouco e ficar mais ansiosos para a super tirolesa. Uma tirolesa que nos faz sentir um herói voando deitado a 150m de altura a mais de 70km/h em 2 lances, o primeiro com mais de 1km de comprimento e outro um pouco menor.

Na manhã seguinte o dia também começou leve, descobrimos O Poção, um parque natural com infra estrutura e atividades radicais. Ficamos ali os 4 sozinhos até a hora do almoço quando retornamos para a cidade e experimentamos o almoço no Mira Rio, que serve um “PF” barato, gostoso e bem servido. Agora sim, como no dia anterior após o almoço a chave muda e a adrenalina corre na veia.

Fizemos rafting, mas não um simples rafting, o Duck Radical, onde são somente 2 pessoas: o instrutor e um aventureiro a bordo de um kaiak inflável desbravando as quedas d’ água do rio Jacaré Pepira. Em momento algum sentimos medo ou receio do barco virar, não podíamos ter escolhido instrutores melhores, simplesmente eles são atletas da seleção brasileira de rafting. A noite comemos no Brotas Bar, um restaurante temático onde as porções são bem servidas.

Hoje o dia começou cedo com a adrenalina na veia, nada de esperar para depois do almoço, até porque é o nosso último dia. Fomos para a área rural de Brotas tendo a fazenda Sinhá Ruth como nossa base para as atividades. A primeira do dia e nossa vez na prática de rapel, para esquentar uma descida de 5m ao lado da cachoeira, e como foi a nossa primeira vez, passamos por um batismo logo após a descida.

A segunda descida, uma queda de 25m no meio da cachoeira com a água caindo sobre nós, uma sensação incrível. O início da descida ou a entrada é o momento de mais apreensão e medo, mas um medo nosso, interno, porque tudo foi realizado com a maior segurança e orientação pelo guia Rafael.

Agora já expert em rapel (risos), a última descida com 40m de altura, medo de altura, tontura, vertigem, quem importa, bora curtir e vencer isso. Pena que acabou, o rapel foi uma ótima experiência e deixou um gosto de quero mais, pode acreditar que faremos mais vezes. Agora a parte mais “chata” voltar caminhando contornando as cachoeiras, descansar um pouco e almoçar.

Saindo da fazenda aproxiamdamante 1km está o bairro de Patrimônio, paramos para almoçar no restaurante de mesmo nome logo na entrada ao redor da praça. Acreditem que só paramos de comer porque tínhamos que voltar e ainda bem, se não era certo passar mal pela gula, era tudo irrestistivelmente gostoso, a salada natural sem agrotóxico, arroz, feijão, farofa, costelinha de porco, tudo feito no fogo a lenha.

          Mais uma chuva passageira, essa por sinal veio em boa hora, assim podemos descançar melhor do almoço e também molhar o chão para não comer poeira no Quadriciclo. Em nosso pensamento, seria um passeio calmo, bem tranquilo, pra relaxar. Mas foi só começar que fechamos com chave de ouro as aventuras em Brotas.

          Dirigimos por estradas de terra, no meio da selva só com a trilha para o Quad., desviando de árvores em zigue-zague, campos gramados, plantações de cana, lamaçal, descampados, sempre contemplando a paisagem, foi muito divertido, os pais da Fernanda também curtiram bastante essa experiência.

          Voltamos para a pousada já escurecendo e ainda sem vontade de comer nada, mas foi só sentir o cheiro do hamburguer artesanal feito na pousada que falamos: Vamos experimentar! Nossa que delícia de carne e o pão leve.

          Dia de estrada e com feriado é sempre pior, mais trânsito, chuva, não foi fácil, mas chegamos bem. Só podemos agradecer a Território Selvagem Canoar por todos os momentos de aventura realizado com toda a segurança que deve ser e a Patrícia e demais funcionários da pousada da Vó Ziza.

          Esses dias em Brotas cheios de aventura fechou com chave de ouro nossas férias deste ano. Não poderíamos estar mais felizes com todas as aventuras que vivenciamos e poder conhecer um pouquinho mais do nosso país e ver o quanto incrível e belo ele é nos faz orgulhosos das belezas incríveis que temos.

NÚMEROS DA VIAGEM:

 Dias de Viagem  5
 Distância Percorrida  1.464 km

DICAS:

Hospedagem

pousada da vó ziza

Agência de turismo

Território Selvagem Canoar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *